PULMÃO DA MINA





PULMÃO DA MINA
Ferro, prata, cobre, anil, pedra de minério de ferro e corda
300 m²
2023



Equação:

✚ : caminho (possibilidade)
➔ : vetor de acontecimento
Cobre e prata: condução de energia e informação. Ar.
Ferro: corpo preto
Ouro: morte e eternidade

“O espaço intermediário entre o céu e a terra é preenchido por um sopro”.

No Brasil os africanos escravizados levavam um canário para a mina de ouro. O canário é um pássaro que canta muito e possui o pulmão muito sensível a gases tóxicos como metano ou monóxido de carbono. Quando o pássaro parava de cantar ou demonstrava qualquer tipo de estresse, os mineiros sabiam que era necessário sair da mina para não morrer intoxicado e compreendiam também a necessidade de abrir um respirador (túnel ascendente que era aberto do teto da mina até o chão da floresta, para que através desse buraco pudesse entrar mais oxigênio e sair os gases tóxicos). Na maioria das vezes o canário morria, mas o sinal que a morte do pássaro trazia impedia a morte de inúmeros mineiros africanos.

No Haiti o som que guiava a fuga das pessoas escravizadas era o som do lambi (caramujo marinho conhecido como concha-rainha). Em meio ao escuro da floresta, o sopro no corpo da concha criava o som que conduzia os corpos pretos para a liberdade.

O ar conduz a resistência de quem esquiva dos sistemas de violência. O vento é o próprio caminho de quem escapa.

No reino mineral a prata é o metal mais condutivo, posterior a ela vem o cobre.
Na cosmologia chinesa o metal é o elemento associado ao pulmão.

Ao pensar a relação entre a maneira de escapar da morte na mina e o que era retirado de dentro dela é possível estabelecer uma relação entre o metal e o ar através da condutividade de ambos os elementos. O sopro e o metal são condutores de energia, liberdade e desvio.