QUEIMANDO TERRA IGUAL BRASA





Essa obra associa a palavra “queimão” que é usada quando algum produto está em oferta, à palavra “queimada’’, usada quando algo é incendiado. Através dessas palavras reflito sobre a venda de terras brasileiras por valores extremamente baixos a outros países, sobre as queimadas da floresta Amazônica para dar espaço a pastos de gado, e principalmente sobre um leilão que ocorreu na região sudeste do país na década de 70, no período da ditadura militar. Nesta ocasião, o governo anunciou uma venda via satélite por valores extremamente baixos de terras na região de Rondônia, com objetivo de povoamento da área. Várias pessoas compraram e ao chegar em Rondônia descobriram que toda essa região era habitada por povos originários. Isso gerou vários conflitos, e vários indígenas foram assassinados na tentativa de se defender e de não serem expulsos de suas terras.


QUEIMANDO TERRA IGUAL BRASA
Madeira, arame, elástico, ferro, prego, peso de ferro, tinta acrílica e panfleto
190 x 180 x 80 cm
2019